Cinco jovens brasileiros correrão a Maratona de Tóquio

Cinco jovens brasileiros, a convite do governo do Japão em parceria com Sport Tomorrow, participarão da Maratona de Tóquio neste domingo (28/2), com largada às 9h10m (21h de sábado no horário de Brasília – a prova pode ser acompanhada pelo site da NBC Sports). Após ficarem uma semana fazendo intercâmbio na Universidade de Tsukuba e visitarem escolas na capital japonesa, Rafael Soares, de 20 anos, Lazaro Romero, de 26, Gilmar Silvestre, de 26, Antonio Wilson, de 26, e Flavio Carvalho, de 28, correrão a primeira prova da World Marathon Majors, que tem ainda as maratonas de Boston, Londres, Berlin, Chicago e Nova York, que classificará atletas japoneses para as Olimpíadas do Rio, em agosto.

IMG_3760
Os atletas da Pé de Vento que foram convidados para correr a Maratona de Tóquio. Foto de divulgação

O convite aos brasileiros promove a amizade entre o Japão e o Brasil através do esporte e da difusão do valor e do espírito esportivo, ainda mais neste ano em que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos serão realizados no Brasil e, em 2020, em Tóquio.

A história do maratonista brasiliense Rafael Soares é de superação. O esporte o tirou das drogas – ele perdeu um irmão para o tráfico – e agora está fazendo sua primeira viagem internacional:

– Eu me encontrei no esporte na época da escola, em Brasília. Eu era usuário de drogas e a corrida me tirou desse caminho. Cheguei no Rio com 18 anos, através da Pé de Vento. Perdi meu irmão para o tráfico e hoje me sinto aliviado e confiante. É a minha primeira viagem internacional e minha primeira maratona. Estou muito feliz e agradecido por terem me dado essa oportunidade .

Gilmar Silvestre, que também encontrou no atletismo uma maneira de ter uma vida saudável e profissional, fará em Tóquio sua estreia nos 42k:

– Nunca corri maratonas, somente algumas meias. Comecei no atletismo quando trabalhava na roça. Eu ia de casa para o trabalho e voltava correndo. Tive problemas com álcool durante um período da minha vida, mas o esporte me ajudou a sair desse caminho. O primeiro campeonato que participei foi o da Universidade Federal de Viçosa e, em seguida, conheci um atleta da Pé de Vento. Com cerca de 18 anos comecei a treinar em Petrópolis, mas morava em São Paulo. Um tempo depois fui para Itamonte, em Minas Gerais, e fiquei lá até o ano de 2014. Hoje, moro e treino em São Miguel do Anta, também em Minas Gerais. Atualmente, vivo do esporte, encaro como uma profissão mesmo. Amo corrida de rua e espero fazer um ótimo tempo na Maratona de Tóquio.

Deixe uma resposta