Indomit Trail Run cruza a fronteira do Brasil e chega à Argentina e ao Caribe

A Indomit vai cruzar a fronteira brasileira e fazer sua primeira prova internacional em Mendoza, na Argentina, no próximo dia 28 de maio. Em parceria com a TMX Internacional e tendo a Costa Esmeralda Trail Run, que acontecerá em Bombinhas (SC), no dia 29 de outubro, como modelo, a etapa argentina, que está com suas inscrições abertas, terá as distâncias de 100k, 80k, 50k, 35k, 21k, 12k e 5k, com altimetria que 3.241m. Uma outra novidade é a chegada da Indomit à Isla Margarita, no Caribe venezuelano, em janeiro do ano que vem. O blog entrevistou Juan Carlos Asef, diretor da Bombinhas Adventure Runners e criador do circuito Indomit, que tem como principal prova a Vila do Farol Indomit 42k, também em Bombinhas, marcada para  13 de agosto.

Cordón del Plata
Córdon del Plata, local da Indomit Mendoza, em maio

IÚRI TOTTI – Como criador do circuito Indomit, qual seu sentimento por estar ampliando sua marca para fora do Brasil?

JUAN CARLOS ASEF – Estamos no caminho que imaginamos ao fim de 2013, quando,  depois de cinco anos de inovação no trail run do Brasil, decidimos criar uma nova marca, a  Indomit, e, juntamente com ela, a distância mais desafiadora no cenário da modalidade, como já era o Ironman no triathlon. Propusemos  os 100k, uma distância inexistente  no Brasil, onde o primeiro colocado levaria aproximadamente 10h e o último 22h. Quando lançamos essa prova, achávamos que, em dois ou três anos, poderíamos tentar levá-la para outros países. Mas a realidade superou as nossas expectativas, pois, no mesmo ano da primeira Indomit Ultra trail, em Bombinhas (SC), fomos procurados por organizadores de eventos similares do Chile, Argentina, Venezuela e outros países. Por agora, aprovamos apenas a etapa de Mendoza, na Argentina, em maio, e Isla Margarita, no Caribe venezuelano, em janeiro de 2017.

IÚRI – Que novidades os atletas encontrarão na Indomit Mendoza?

JUAN–  Os competidores encontrarão alta montanha, que este ano chegará a 3.400m de altitude, com neve, uma altura inexistente no Brasil e na Patagônia, por exemplo. Queremos fazer uma grande confraternização com corredores de Argentina e Chile, oferecendo excursões  de trekking personalizadas, passeio pela Rota do Vinho e proximidade de uma grande cidade, que é Mendoza.

11751400_785521674894991_1017731456290830257_n
Juan Carlos Asef, diretor da Bombinhas Adventure Runners e criador do circuito Indomit

IÚRI – Por que você escolheu Mendoza para fazer a estreia da Indomit no exterior?

JUAN –  Mendoza, e em especial a zona do Cordón del  Plata, onde passa a corrida, é onde fiz as minhas melhores excursões em trekking de alta montanha, com o guia de alta montanha, o lendário Alejandro Randis. É um dos meus lugares preferidos no mundo, assim como é Bombinhas, no litoral de Santa Catarina. O que também também influenciou muito na organização dos 100Km é que estamos associados internacionalmente com a TMX, da Argentina, um dos sócios  da Patagonia Run, uma corrida trail muito parecida, que acontece há sete anos e é considerada a melhor corrida de trail run da Argentina. O Aconcagua fica em Mendoza, a montanha mais alta do mundo fora da Ásia. Sem falar de sua ser uma região produtora de bons vinhos, alguns dos melhores do mundo e do fácil acesso para argentinos e chilenos e que recebe voos diretos de São Paulo.

Foto05
Juan e o guia Alejandro Randis em um trekking no Córdon del Plata

IÚRI – Quais as características dessa prova?

JUAN – Ela tem as mesmas distâncias de Indomit Costa Esmeralda, e mais uma corrida de 35k.  A diferença é que todas as largadas e chegadas serão no mesmo lugar, em Potrerillos, cidade a beira do lago, localizada a 80k de Mendoza Capital. A paisagem é linda, com os picos nevados do Cordón del Plata, Refugio de Vallecitos (posto de abastecimento), Las Veguitas e, ao fundo, os Cerros Rincon (5.300m) e Vallecitos (5.700m). Será uma prova muito “casca grossa” para as distancias de 80k e 100k, que deverão exigir o máximo para se adaptar a correr mais de 10k acima de 3.000m de altitude, com quase 4.500m de desnível positivo, que, nesta altura, são mais exigentes.

IÚRI – Há planos de ir para outros países?

JUAN – Sim. Já está marcada a Indomit Caribe, na Isla Margarita, para janeiro de 2017. Temos planos de chegar a muitos outros países, principalmente da América, mas sem pressa. Necessitamos garantir a qualidade do selo Indomit, tarefa que não é fácil.

IÚRI – E no Brasil, quais são os planos da Indomit?

JUAN – Em primeiro lugar, manter e melhorar ainda mais a qualidade do circuito. Nossa primeira etapa, que acontece no dia 2 de abril em São Bento do Sapucaí (SP), está próxima de duplicar seu número de atletas da edição de 2015. Terei  a oportunidade de homenagear a memória de Cris Carvalho, que perdemos recentemente, com muita tristeza. Foi ela quem nos deu a dica destas lindas montanhas em São Bento do Sapucai. Para a nossa estrela, a Vila do Farol Indomit Bombinhas, que acontecerá no dia 13 de agosto, as inscrições já estão abertas e aumentam também em um ritmo uperior a 2015. Pensamos que chegaremos  rapidamente ao nosso limite de mil atletas. Mas neste caso, o nosso objetivo não é aumentar o número de atletas, e, sim, aperfeiçoar sua já tradicional excelência e qualidade  e o cuidados com os participantes. Também a Indomit Costa Esmeralda Ultra Trail, no 29 de outubro, para o qual já estamos em negociações para melhorar os hotéis oficiais e planejamos subir o número de inscritos em 30%, muitos vindos da Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai,Venezuela e do restante da Ámerica. Finalmente estamos trabalhando em duas novas iniciativas. A primeira é o lançamento de Indomit Sports Beach, em Bombinhas, evento que contemplará, principalmente, as modalidades aquáticas. E a principal, já para 2017, é a Indomit Brasil, do Oiapoque ao Chuí, por todo o litoral brasileiro, atravessando 17 estados litorâneos. Uma prova colossal.

Deixe uma resposta