Maratona de Londres terá recordistas e atração do espaço

Por Rodolfo Lucena, na Folha de S.Paulo, em 23/4/2016

O recordista mundial da maratona, Dennis Kimetto, e seu antecessor, Wilson Kipsang, duelam neste domingo (24) nas ruas de Londres para decidir quem é o mais rápido maratonista do planeta.

londres_marathon_previa
Wilson Kipsang (esq.) e Dennis Kimetto se preparam para a maratona de Londres. Fotos de Niklas/AFP

Para isso, os “coelhos” (marcadores de ritmo) foram orientados a passar a metade da prova em 1h01min45. Essa foi exatamente a passagem de Kimetto na meia maratona quando bateu o recorde mundial em 2014, em Berlim, com marca de 2h02min57.

No pelotão de elite, nada menos que oito corredores já completaram a distância em menos de duas horas e seis minutos –feito jamais conseguido por um brasileiro.

Nessa constelação de estrelas, até mesmo o brilho do atual campeão mundial fica ofuscado: com 2h07min47 como melhor tempo pessoal, Ghirmay Ghebrselassie, da Eritreia, detém apenas a décima melhor marca entre os competidores em Londres.

Na hora da largada, porém, conquistas passadas e posição no ranking perdem importância. Corredores com marcas mais lentas podem se tornar vencedores, como ocorreu no ano passado, quando o queniano Kipsang foi suplantado por seu compatriota Eliud Kipchoge.

O campeão volta para defender seu título, tendo ainda como perseguidor o mago das pistas Kenenisa Bekele, etíope que é atual recordista mundial dos 5.000 m e dos 10.000 m, dono de quatro medalhas olímpicas (das quais três de ouro, uma de prata).

No feminino, a queniana Mary Keitany, bicampeã em Londres e tida por especialistas como a melhor maratonista da atualidade, tenta dar o troco na campeã Tigist Tufa.

Em 2015, a etíope surpreendeu Keitany a cinco quilômetros da chegada. Construiu vantagem que a queniana, então favorita, não superou.

Enquanto as rivais se digladiam, outras atletas se aprontam para dar o bote. Campeã mundial, a etíope Mare Dibaba mostrou ser capaz de manter a calma mesmo nas disputas mais acirradas. Sua compatriota Asefelech Mergia, tricampeã de Dubai, abdicou de participar neste ano da rica prova pare se voltar-se aos treinos para Londres.

ATRAÇÃO DO ESPAÇO

Fora do mundo da elite do atletismo internacional, o destaque vai para o espaço.

O astronauta britânico Tim Peake, em órbita na ISS (sigla em inglês para Estação Espacial Internacional), será um dos cerca de 38 mil participantes da maratona. Por causa da microgravidade na estação espacial, pessoas e objetos parecem não ter peso: flutuam no ambiente.

Peake terá de ficar amarrado à esteira em que vai correr para se tornar o primeiro homem maratonista do espaço –em 2007, a astronauta norte-americana Sunita Williams fez a maratona de Boston em 4h24min em missão na ISS.

Peake, que correu a maratona de Londres em terra firme em 3h18min em 1999, espera completar o desafio em menos de quatro horas.

 

Deixe uma resposta