Carioca vai triplicar a distância da Maratona do Rio para vencer o medo dos 42km

Depois de três ultramaratonas _ duas em 2015 e uma este ano _, era hora de acabar com um medo. Um medo que diante dos quilômetros das ultras (a maior com 77,5km nas 12 Horas de Macaé, ) pode parecer uma coisa boba, mas para o carioca Jorge Augusto Guimarães Barroco, de 30 anos, estudante de engenharia de produção, tinha um peso enorme. Esse trauma são os 42km da Maratona do Rio. E para dar fim a esse pânico, Jorge resolveu inovar: será o primeiro a triplicar a distância da prova.

Sua primeira largada será hoje, às 17h, do Pontal em direção ao Aterro do Flamengo. A previsão do ultramaratonista é completar este trecho entre 5h e 5h30m, na companhia de dois amigos. No seu planejamento, a segunda largada será à 0h, com um grupo de outros 10 amigos, que vão dobrar a Maratona. Para fechar os 125,5km, ele fará sua última largada às 7h30m, junto com os 8.500 maratonistas.

“Eu tinha um medo absurdo de fazer a Maratona. Eu pensava várias coisas e isso travava a minha mente. Pensava muito na Avenida Niemeyer. Tinha medo de “quebrar”  ali, e como diz um trecho da letra de “Só os loucos sabem”, do Charlie Brown Jr, “o medo cega nossos sonhos”. Este medo impedia um grande sonho”, afirma Jorge, que aproveitará os intervalos entre as largadas para ir ao banheiro e ingerir alimentos para estar devidamente preparado para os quilômetros seguintes.

jorge_3

Ele conta que no ano passado, após concluir a Meia Maratona da Maratona com um casal de amigos, voltou a correr para encontrar com um amigo que corria com o filho especial em uma cadeira adaptada. No trajeto, foi encontrando outros amigos que estavam em na primeira meia maratona. Ia acompanhando cada um até a chegada e voltava para buscar outros. Entre idas e vindas, Jorge acabou correndo 61km.

“Após correr, eu contei para minha amiga Juliana Gomes, que tinha feito a maratona, a distância total que fiz para ajudar meus amigos. Sem eu saber, ela combinou com o grupo  Correndo Juntos que iria me dar sua medalha da maratona. Dois dias depois da prova, em um treino no Parque de Madureira, ela me fez essa surpresa. Aí a “ficha caiu”. No mesmo dia, me inscrevi na Maratona deste ano”, conta Jorge. “Eu já havia feito duas ultramaratonas (60km na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio, e 50km no Xterra de Mangaratiba), e estava preso a um medo absurdo. Decidi triplicar a distância, que representa cada ano que tive medo de corrê-la, para que nunca mais tivesse pavor de algo, mostrando que era capaz de fazer.”

jorge_6

Para se preparar, Jorge contou com as planilhas e exercícios do treinador Marcello Morone.

“Começava ali construção do meu sonho. Foram meses e meses, centenas de quilômetros semanais… Sofri um acidente de carro faltando dois meses para a Maratona do Rio, e quase fiquei fora de concluir meu sonho,. Tive de ficar parado por três semanas. Voltei a correr após ser liberado pelo médico, porém com dores enormes na costela por causa do acidente.”

Jorge não sabe explicar como surgiu o medo pelos 42km.

“Era falar em maratona e eu me inscrevia na meia maratona. Não foi fácil, mas foi graças ao incentivo da minha amiga Juliana que estarei triplicando a maratona”, diz Jorge, que começou a correr em 2005. “Se ainda tenho medo? Sim, mas hoje tenho medo do triplo da maratona e não mais da maratona. Eu condicionei a minha mente para algo maior do que o meu maior medo. E vou lá buscar o meu desafio pessoal.”

jorge_4

Jorge está confiante na superação:

“Eu espero estar bem calmo, tranquilo. Vou fazer apenas o que treinei e da maneira que treinei. E vou fazer uma surpresa para minha amiga Juliana no fim”.

3 comentários Adicione o seu

  1. LUIZ CARLOS ROCHA disse:

    Estou na torcida….Junto com a galera da Tenda CAARJ….Parque De madureira

  2. Humberto Luiz disse:

    Esse é fera.
    Costumo brincar com ele que eu corro mais que ele…
    Nos 5km
    Kkkkkkkkk

  3. Marcelo Campos disse:

    Show fera….

Deixe uma resposta