Espaço do atleta: a força mental do campeão Chico Santos na KTR de Campos do Jordão

Você nunca sabe o que é capaz até que tente ou faça. Então se tem oportunidade tente!

Sábado (25/6) larguei na KTR de Campos do Jordão. São 42km resumido em duas descidas e duas subidas. No Km 15, passávamos na arena da largada e chegada e eu estava na liderança. Nesse momento largou o prova de 21km e seguíamos juntos uns 2km onde os percursos eram separados. Nesse ponto perguntei ao staff  pra onde ia os 42k?

chico_santos_1

Fui orientado a seguir pra direita. Logo depois achei estranho e resolvi parar e esperar até aparecer outros atletas dos 42km. Apareceram dois que também não tinham feito a prova no ano passado. Resolvemos seguir e entramos num bosque. Comecei achar muito estranho e o que vinha à cabeça é que estávamos voltando para a arena de chegada e mais 4km estávamos na chegada. Aquilo era muito estranho.

Chegamos os três na arena e as pessoas que estavam não lá entenderam o que estávamos fazendo ali. Eu resolvi que ia fazer o resto da prova porque fazia parte do planejamento de treinos, que era correr umas 5h. O organizador teve a ideia de nos levar até o ponto onde seguimos errado e dali continuar a prova. Eu, particularmente, não vi nada de errado nisso. Vi como “fair play” do organizador. Assim foi feito.

Quando voltamos a correr no percurso certo fomos informado que o primeiro colocadao tinha passado por ali há 12 minutos. Como faltavam uns 25km, resolvi tentar e fui à caça. Tinha pela frente uma descida e uma subida e mais o trecho no bosque onde já tinha corrido quando fui orientado errado.

No final da subida eu assumi novamente a liderança da prova. O trecho final no bosque, de aproximadamente 4km, eu fiz duas vezes: quando fui orientado errado e era por onde chegava a minha prova.

Um atleta de corrida de montanha não pode ser forte só fisicamente. Mentalmente temos que saber lidar com as adversidades e não desistir no primeiro obstáculo!!

Valeu galera!!!

Até a próxima!!!

Deixe uma resposta