Espaço do atleta: A experiência de Mauro Chasilew pelos 600km da corrida de aventura Expedição Guarani, no Paraguai

Uma corrida de cerca de 600km começa como um sonho. E é também um pesadelo a quantidade de coisinhas e detalhes que precisam ser pensados e comprados.

paraguai_1

A Expedição Guarani, que aconteceu de 2 a 10 de julho e reuniu 40 times de vários países, no Paraguai, é uma das etapas do Circuito Mundial de Corridas de Aventura, o AR World Series.

A lista de equipamentos é interminável. Precisamos tentar nos antecipar a qualquer problema ou imprevisto que possa acontecer durante a prova e achar as melhores soluções possíveis. Nossa equipe seria composta por mim, João Bandeira, Gabo Tavares e Larissa Rangel.

Larissa precisou sair do projeto por estar trabalhando nas Olimpíadas. Fechamos então com a Leticia Morro, uma paraguaia que o João tinha conhecido em outra prova.

Já o Gabo, nosso navegador principal, teve uma lesão séria no tornozelo e, faltando 15 dias para a largada, tivemos que correr (e muito) atrás de um outro navegador. Caiu dos céus o Jean Carlo Finkler, experiente corredor e navegador top top.

Eu e João encontramos o Jean em Guarulhos e, na sequência, fechamos nossa equipe, encontrando a Leticia no aeroporto de Assunção.

Compramos algumas coisas que faltavam para a prova e fizemos a checagem de equipamentos e teste de habilidade específica com cordas e caiaque.

Finalmente, no dia 4, a largada. Começamos fazendo uma corrida de 7km pela cidade, passando por quatro PCs (postos de controle). E logo depois saímos para um trecho de 80km de mountain bike.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois desses 80km, que ainda tinha um salto (sem bike) de cerca de 5m dentro de um rio para batermos um PC, tínhamos as seguintes distâncias e modalidades previstas:

51km de caiaque

35km de mountain bike

55km de trekking e ascensão

81km de mountain bike

27km de trekking

55km de caiaque

51km de mountain bike

38km de trekking

55km de mountain bike

Os trechos de bike foram muito desafiadores. Descidas fortes, subidas duras e lama. Muitas lama. Daquele tipo que gruda e a bicicleta parece que pesa 200kg! Ainda atravessamos rios, carregando a bicicleta no ombro ou usando cordas para levá-la até a outra margem.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em determinado ponto, a bike da Letícia quebrou e conseguimos achar um mecânico de moto que fez uma peça para ela. Assim pudemos continuar na prova.

O caiaque foi noturno, e, infelizmente, acabamos virando e ficando encharcados, piorando a sensação de frio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O trekking também foi bastante duro. A navegação exigiu muito e o Jean esteve impecável! Aparentemente, subimos todas as montanhas paraguaias.

Tivemos que varar mato e vencer intermináveis pântanos. Cruzamos e pulamos rios. Fizemos uma ascensão de 50m por cordas embaixo de uma cachoeira. Aventura completa e com muitas surpresinhas. E muita diversão!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Estivemos em uma verdadeira expedição para cumprir os 49 postos de controle e cruzar a linha de chegada em oitavo lugar.

As fotos ajudam a imaginar o que passamos em uma corrida de aventura.

Ainda queria agradecer os parceiros que ajudaram na empreitada: On The Rocks Aventuras, Academia Body Tech, Camelbak, Advanced Nutrition e as roupas e equipamentos Solo.

Assista aos vídeos da Expedição Guarani. O primeiro é um teaser para a prova de 2016 e os outros da competição de 2015:

 

Um grande abraço e bons ventos”.

Mauro Chasilew (mauro@ontherocks.com.br)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s