Carlos Botelho e Ana Giovanelli vencem os 100km da Indomit Costa Esmeralda

A edição 2016 da Indomit Costa Esmeralda foi marcada por atletas novatos dividindo o pódio com veteranos, principalmente nas provas de longa distância. Nos 100km, Carlos Botelho, de 25 anos, levou a melhor, enquanto Ana Giovanelli faturou o bicampeonato. Nos 80km, Geison Ignácio foi tricampeão e Camila Feijó obteve o título em sua estreia na distância. Já nos 50km, Rafael Sodré dividiu o primeiro posto com o marroquino Kemissa Abderrahim.

No último final de semana (28 a 30/10) a Indomit Costa Esmeralda agitou as cidades catarinenses de Bombinhas e Porto Belo com a presença de cerca de 1.400 pessoas, entre atletas e acompanhantes. A primeira largada aconteceu às 22h de sexta-feira (28) no Píer de Porto Belo para a distância de 100 quilômetros e já na madrugada de sábado, a 1h, saíram os participantes dos 80 km.

imagem-01-11-16-as-20-32-1
Carlos Botelho comemora sua primeira vitoria nos 100 km. Foto: Kelvin Schitcoski

Depois de percorrerem um pequeno trecho urbano, os atletas subiram o morro do Bicudo com suas trilhas de single track e subidas íngremes, encararam praias com maré alta e água na altura das canelas e, já com a companhia dos primeiros raios de sol, subiram e desceram o Morro do Macaco, com 800m de desnível.

Às 7h largaram os inscritos nos 50 km, às 11h foi a vez dos 21 km, 14h dos 12 km e 18h dos 5 km, essa última com parte da renda obtida com as inscrições sendo revertida para a instituição Oncoguia, que oferece assistência psicológica e jurídica a pacientes com câncer. Durante toda a prova, os postos de abastecimento forneciam aos corredores todo o suporte necessário para seguirem em frente, oferecendo água, isotônico, água de coco, sopa, torta salgada, frutas secas, bolachas doces e salgadas.

Nos 100km, o atual campeão Giliard Pinheiro sentiu um desconforto estomacal e abandonou a prova antes da metade, deixando caminho livre para o novato Carlos Botelho vencer sua primeira prova nos 100km, com o tempo de 10h55m45s.

“As trilhas estavam muito difíceis, tinham alguns segredinhos escondidos, mas valeu muito a pena. Correr com essa paisagem, ver o sol nascendo do alto do Morro do Macaco não tem preço”, ressalta o paulista. “Larguei atrás só observando os primeiros, no quilômetro 30 eu estava com o segundo colocado e o Giliard, mas depois do abandono dele não vi mais ninguém. Esse resultado foi um grande sonho realizado”.

A segunda colocação ficou com Jovanir Macedo (11h08m50s), seguido por Marcus Borges (11h21m08s). O pódio foi completo ainda pelo treinador e ultramaratonista carioca, Manuel Lago, e pelo espanhol Jose Manuel Gasca.

“Estou acostumado às montanhas da Europa, então correr no Brasil em praias e terrenos acidentados dificulta bastante”, relata Gasca que, em maio passado, venceu a Indomit Mendoza, na Argentina.

imagem-06-11-16-as-03-15
O pódio feminino nos 100km, com Ana Giovanelli comemorando o bicampeonato. Foto: Kelvin Schitcoski

Entre as mulheres, Ana Giovanelli faturou o bicampeonato com o tempo de 13h24m27s.  A segunda colocada foi Ivonete Loes Wild (14h58m25s) e a terceira Anemari Calixto (15h53m48s).

“A prova estava mais difícil do que a do ano passado, com muitos morros e trechos de maré alta que desgastavam a musculatura”, comenta a curitibana, que cruzou a linha de chegada muito emocionada. “Esse ano estou vindo de lesão, sofri muito nos treinos e cheguei a pensar em não vir para a prova. Mas valeu muito a pena correr e conseguir o bicampeonato”, afirmou Ana, que foi recebida na linha de chegada por uma torcida organizada formada por amigos e familiares.

Nos 80km, com 10h06m59s, Geison Ignácio conquistou o tricampeonato, mas não teve vida fácil, pois Maicon Cellarius vinha em seu encalço durante toda a disputa, fechando sua prova em 10h14m08s. Israel Mafra foi terceiro, com 10h49m54s.

“Acho que vou me manter nos 80km até alguém conseguir me vencer”, brinca o campeão. “Não conseguimos correr em algumas praias, então dificultou a prova. Eu mantive um ritmo constante, mas no final acelerei para garantir a vitória”.

imagem-01-11-16-as-20-32

No feminino, Camila Feijó estreou na distância e garantiu vitória com o tempo de 10h22m51s e uma boa vantagem em relação à segunda colocada, Oceni Primo, com 11h27m34s. A terceira colocada foi Hallyne Bergamini Caetano, com 12h20m13s.

“Foi um grande desafio e deu tudo certo. A prova foi bastante difícil, principalmente a parte da noite, mas fiz um planejamento legal de treinos e fiquei bastante feliz com o resultado”, comenta a carioca.

 

Já nos 50km masculino, o carioca Rafael Sodré e o marroquino Kemissa Abderrahim dividiram o alto do pódio. Os dois correram o tempo todo lado a lado, se ajudando até o final.

“A corrida de montanha tem esse espírito. Não é só uma competição, é uma amizade acima de tudo, que faz a diferença em nosso esporte”, afirma Sodré, cabo do BOPE. “Esse é realmente o espírito das corridas de montanha”, completa Kemissa. “A prova foi muito boa porque teve de tudo: trechos em cidade, praia e montanhas. Espero poder voltar nos próximos anos”, completa o corredor que escolheu a Indomit Costa Esmeralda como local para comemorar sua lua de mel.

Na disputa das mulheres, Cissa Ramos melhorou em quase uma hora seu tempo de 2015 e garantiu o título com 5h35m19s. A segunda colocada foi Maria Beatriz Freira (5h47m30s) e a terceira Luciane de Medeiros da Silva (5h49m20s).

“Achei a prova mais desafiadora, mais com meu estilo. Foi uma mudança bastante positiva. Eu queria vencer essa prova, então me foquei bastante e na hora deu tudo certo”, comenta a empresária.

Nos 21 quilômetros, Ana Gorini da Veiga resolveu participar da prova na última hora, não teve muito tempo para treinar, mas garantiu o primeiro lugar com 2h02m. A segunda colocação ficou com Luisa Vargas (2h15m26s) e a terceira com Mariana Saraiva (2h22m).

“Eu me senti muito bem e aproveitava as subidas de trilha e descidas de asfalto para correr mais rápido”.

No masculino, mais um empate: Marlon Alexandre Gruleton e Tiago Jensen concluíram a prova em 1h52m45. “Somos da mesma equipe e desde o começo tínhamos como objetivo fazer toda a prova juntos para garantir mais uma vitória ao time”, relata Tiago.

Nos 12 km masculino, a primeira colocação ficou com Maz Moreira da Silva Junior (56m57s), seguido por Geovani Ribeiro da Silva (58m51s) e Jefferson Lucas de Oliveira (58m53s). No feminino, quem levou a melhor foi Bruna Santos (1h18m18s), com Angelica Jensen em segundo (1h21m10s) e Carla Andrea Serra (1h26m18s).

imagem-06-11-16-as-03-07

Já na distância de 5km, a vitória ficou com Everton Rafael da Silva (19m01s) seguido por Felipe Costa da Silva (19m23s) e Max Moreira da Silva Jr (20m50s). No feminino, Karina Rochelli da Silva foi a mais rápida com 29m26s, seguida por Riana Leal (30m30s) e Carolina Pinheiro (30m40s).

A última pessoa a cruzar a linha de chegada foi a argentina Carla Gavagnin, com o tempo de 21h59m24s, ou seja, 36 segundos antes do tempo limite.

“Demorei a chegar, pois estava ocupada. Vim correndo e recolhendo as fitas de sinalização”, brinca a representante de Córdoba. A prova foi dura, mas gostei bastante. Foi minha estreia nos 100 quilômetros”.

Durante a cerimônia de premiação, Juarez Plassmann foi homenageado com o troféu Indomit de honra ao mérito. Aos 70 anos, ele fez sua estreia nos 100 quilômetros e completou a prova com o tempo de 21h23m40s.

“Esse foi o grande desafio da minha vida, obrigado a todos vocês, de coração”, agradece o paranaense após ser aplaudido de pé pelos outros participantes.

Os resultados completos estão disponíveis no site oficial da Indomit Costa Esmeralda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s