Ultra desafio mesmo!

O que falar da Ultra Desafio Série Extremo, que aconteceu no dia 18 de fevereiro, na cidade mineira de Passa Quatro. Fiz a distância de 80km (tinha ainda 120km, 30km e 15km), uma prova bem dura, feita toda em estrada, tendo uma subida monstra logo com 7,5k que ia até os 12k, muito dura!!

Logo no primeiro posto, uma surpresa desagradável. Não tinha água, porém, como tinha me programado para ter água na minha mochila até o segundo posto, segui em frente.
Um lugar lindo, com vários pontos de água saindo da mata e com rios por quase toda a parte da corrida!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

A corrida era basicamente subida e descida o tempo todo, castigando muito a musculatura.
O sol castigou durante todo o dia, fazendo com que parasse em quase todas as bicas de nascente para me refrescar.

A marcação não era das melhores, meio confusa às vezes, porém, se corresse com atenção, não tinha como se perder, pelo menos no percurso dos 80km. Isso se tornou mais um ponto de tensão: correr com um sol forte e prestar atenção na marcação.

No posto de controle mais importante, onde o próximo seria a quase 30km, mais uma surpresa: não tinha água. Foi ali que a corrida começou realmente para mim, enquanto muitos corredores diziam que não ia continuar para esperar a água chegar. Decidi ir e contar com a ajuda de Deus. Uns 2km depois, encontrei um botequim e abasteci minha mochila. Ainda encontrei mais duas mercearias durante o percurso parar repor mais água!

Uma coisa que acontece muito nas corridas de montanha é um corredor ajudar o outro quando é preciso. Parei umas três vezes para ajudar corredores com câimbras e segui em frente.

No segundo posto de controle, fui ver minha colocação e estava em 40° lugar. Quando cheguei no último posto de controle, eu estava, para minha felicidade, em 12°. 

Chorei num determinado ponto da prova quando lembrei da minha avó, que faleceu no final do ano passado. Quando eu falava das corridas que ia fazer, ela me chamava de maluquinho!!

Só faltavam 5km para o fim da prova e era uma descida de 3km. Gostei muito, pois já estava começando a dar câimbras nas panturrilha, nos quadríceps e nos abdutores das coxas. Felicidade a minha chegar na reta final e ver o pórtico de chegada.

Alegria imensa em ter vencido este ultra desafio, compensador saber que aquele treino de 60km que fiz com sol de 40 graus foi perfeito. Minha meta era fazer a prova em 12 horas e consegui fazer com 1h10m a menos. E o melhor, peguei o 3° lugar na minha categoria.

Quero agradecer a todos pela força e torcida, Obrigado meu Deus por me guiar o tempo todo, obrigado Steliane Teixeira pela força de sempre, Matias Trailrun, Dani Sousa e Rojany Souza por estarem na minha chegada. Agradecer a minhas filhas Giovanna Carvalho e Juliana Da Silva Loureiro pela força. Lelo Almeida tu é irmão. Obrigado meu treinador Marcello Morone por todos os treinos e pela força que me deu nos momentos de instabilidade.

Vale muito a pena se sacrificar por um objetivo. Temos que ter foco e determinação para termos êxito. VQV pois o próximo desafio já tem nome e data: UAI 135km, no dia 30 de junho.”

Flávio Loureiro