Lesões nos meniscos podem atingir qualquer atleta, não importando a idade

Em cada joelho, existem dois meniscos, o medial (do lado interno do joelho) e o lateral (do lado externo do joelho). São estruturas fibrocartilaginosas que distribuem a carga que passa pelo joelho para ajudar a diminuir a pressão sobre a cartilagem articular que cobre o osso. Ou seja, os meniscos são uma espécie de amortecedores. Uma lesão neste local prejudica essa proteção e expõe a cartilagem ao desgaste, facilitando o processo de artrose na articulação.

Um dos grupos mais propensos às lesões no menisco são os jovens que praticam esportes. Segundo o especialista em traumatologia ortopédica Dr. Paulo Henrique Araújo, as lesões são relacionadas a eventos traumáticos, como entorses ou outros movimentos bruscos e não habituais do joelho.  Um dos tratamentos mais indicado  é o cirúrgico, por meio de uma astroscopia. Já que o organismo jovem tem um grande poder de recuperação.

O outro grupo mais atingido é o de pessoas com mais de 50 anos. São lesões degenerativas, causadas pelo desgaste natural e perda das propriedades elásticas dos meniscos. Assim como a lesão por trauma, os principais sintomas são dor, normalmente nas laterais do joelho, e bloqueios, ocasionados pelo deslocamento do menisco de uma lado para o outro. Apesar desta semelhança no sintoma, o tratamento para lesões degenerativas é diferente:

“São recomendados tratamentos sintomáticos, como medicações anti-inflamatórias, gelo e fisioterapia. Se essas medidas forem ineficazes, o tratamento cirúrgico por artroscopia, cirurgia minimamente invasiva com pequenas incisões de 1 centímetro, deve ser considerado. Porém, se os sintomas forem mecânicos, ou seja, com travamento do joelho, a cirurgia é a melhor escolha para remover a região lesionada do menisco e os restos meniscais que podem estar soltos na região, provocando os bloqueios. Neste grupo de pacientes, a sutura do menisco, restauração do menisco por meio de pontos cirúrgicos, não tem sucesso devido às dificuldades de cicatrização”, esclarece Paulo Araújo.

Dr. Paulo Henrique Araujo (CRM-DF 13519) é cirurgião de joelho graduado e com doutorado pela Universidade de São Paulo – USP e especialização na Universidade de Pittsburgh, Estados Unidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s