Espaço do Atleta: Márcio Villar na Meia Maratona de Praga, na República Tcheca

Vim à República Tcheca para conseguir patrocínio para o meu projeto tentar bater o recorde do Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, de 820km, previsto para outubro. Trouxe até o certificado Guinness Book do meu recorde de corrida em esteira (827,16km em sete dias). Iria marcar uma hora no Ministério do Esporte para negociar até mesmo uma naturalização, caso me oferecessem coisa melhor que no Brasil, um apoio de verdade.

Aproveitei para fazer a 19ª edição da Meia Maratona de Praga, no dia 1º de abril, testando a prótese do quadril, colocada há três meses. Estava só treinando em areia fofa por causa do impacto. Graças a Deus foi tudo perfeito. Sem dores e no ritmo abaixo de 6m/km. Porém, o mais emocionante foi cruzar a linha de chegada com a bandeira do Brasil.

A prova foi perfeita, com uma organização nota mil. Já na entrega do kit, vi que seria algo grandioso, com mais de 1.500 atletas de toda a Europa. A largada foi às 10h, com temperatura de 14°, ideal para correr.

Márcio Villar com a bandeira do Brasil e a medalha da Meia Maratona de Praga
Márcio Villar com a bandeira do Brasil e a medalha da Meia Maratona de Praga

Minha preocupação eram os paralelepípedos e os trilhos do trem. Procurei sempre correr no mesmo ritmo, pois não queria forçar, com medo de sentir algo na prótese. Mas também queria fechar com ritmo médio abaixo de 6m/km. A população na rua, incentivando os atletas, aplaudindo e, no último quilômetro, saquei a bandeira do Brasil do bolso e só escutava gritos “Brasil, Brasil”. Veio a emoção e alegria como se estivesse vencendo meus desafios. Foi mais uma barreira superada na minha recuperação. Cada dia uma vitória.

Quem poderia imaginar que há um ano atrás eu estava internado com uma doença autoimune rara. Quase morri e há três meses coloquei uma prótese na bacia e no fêmur. Tem que amar muito o que se faz para superar tudo e ainda querer bater um novo recorde. Estou mais forte do que nunca, focado e determinado, agora só depende do patrocínio para realizar mais esse sonho. Mesmo sendo encarada como treino, foi bom demais. Veio a certeza de ser impossível correr carregando outra bandeira. Não dá. Não me vejo fazendo isso.

Agora é voltar para o Brasil e tentar fechar os patrocínios necessários para, em outubro, tentar bater o recorde do Caminho de Santiago de Compostela, de 820 km. Já fechei o patrocínio com a Cers Cursos Online, Hydro 365, Kailash e Gestão Estácio. Preciso de mais três cotas de R$ 10 mil.

Agora que está tudo ok e testado comigo, é só treinar muito para fazer o que amo e trazer essa marca para o Brasil. Só tem uma mudança no projeto inicial. O desafio será pelo Projeto Juquinha, do qual sou embaixador, que cuida de 150 crianças especiais. Quem  quiser colaborar com o projeto: Associação José Pereira de Farias; CNPJ 06.064.766/0001-16;  Banco Brasil, Agência: 0820-6, CC 18990-1; Bradesco, Agência: 0679-3, CC 21012-9; Sicredi, Agência: 3830, CC 259-3.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s