Uma nova meia maratona surge no Rio de Janeiro. Com largada, às 7h, e chegada em Copacabana, entre as ruas Siqueira Campos e Figueiredo Magalhães, e retorno em São Conrado, a 1ª Meia Maratona Nacional da Advocacia acontecerá no dia 8 de outubro. As inscrições já estão abertas em www.corridanacionaldaadvocacia.com.br e se encerram no dia 4 de outubro. A prova, organizada pela Caixa de Assistência dos Advogados do Rio (Caarj), em parceria com a Coordenação Nacional das Caixas de Assistência dos Advogados (CONCAD), é aberta também para quem não é advogado, terá as distâncias de 10km e 5km e a tradicional Caminhada da Advocacia.

Advogados e estagiários de direito, que possuem a carteira da OAB, ganham desconto. Para incentivar a participação, as inscrições começam com preços promocionais: até o dia 9 de agosto, o valor para advogados e estagiários é de R$ 65, e para os demais atletas, R$ 85.

Para o presidente da Caarj, Marcello Oliveira, é um privilégio para a advocacia do Rio sediar uma prova nacional, resultado de um esforço de todas as Caixas de Advogados do país na prevenção de doenças e na conscientização dos males do sedentarismo. O objetivo da prova é a integração e o bem-estar através do esporte.

“A Caarj e as demais Caixas de todo o Brasil realizam uma série de ações para oferecer melhor qualidade de vida ao advogado, como as tendas para treinamento de corrida, que vão chegar a 14 em todo o estado do Rio nos próximos meses. A Meia-Maratona terá circuitos menores e uma caminhada exatamente para estimular que mais pessoas participem”, diz Oliveira.

O presidente da Coordenação Nacional das Caixas de Assistência dos Advogados (CONCAD), Ricardo Peres, afirma que as Caixas da maioria dos estados do Brasil já estão incentivando os advogados a correr: “A vida dos advogados é muito estressante, então, nós, das Caixas, temos a obrigação de cuidar tanto da saúde dos profissionais de advocacia como de suas famílias. A meia maratona só reforça isso, já que vai incentivar muitas pessoas a praticar esportes e sair do sedentarismo”.