Chegada da Mizuno Uphill Marathon 2013, com Yara Achôa

Lá vou eu… subir as 256 curvas na Serra do Rio do Rastro na Mizuno Uphill Marathon pela terceira vez

Não importa quantas provas você já correu e os anos de experiência em corridas de diversos formatos e distâncias, o friozinho na barriga sempre aparece quando a contagem regressiva vai chegando perto do dia da largada.  Estou preparado? Treinei o suficiente? são perguntas que vão e voltam nesse período de TPM (Tensão Pré-Maratona). Neste sábado (2/9), em Santa Catarina, pela terceira vez, vou participar, como embaixador, da Mizuno Uphill Marathon, entre Treviso e Bom Jardim da Serra, com a Serra do Rio do Rastro e suas 256 curvas nos quilômetros finais.

Imagens da Mizuno Uphill Marathon de 2013
Imagens da Mizuno Uphill Marathon de 2013

Cumpri 95% da planilha elaborada por Marcius Duarte, da Runners Club, mas só saberei se tudo deu certo quando, primeiro, passar pelo Km 24 antes do prazo determinado para corte, de 3 horas, e cruzar a linha de chegada. Apesar da ansiedade e do friozinho na barriga, estou confiante.

Tive duas experiências distintas nessa prova. Na primeira edição, em 2013, eu era um dos 50 convidados (neste sábado, serão 1.500 corredores nos 42km e nos 25km) da Mizuno e da X3M, empresa idealizadora e organizadora da prova, para “desbravar” a primeira maratona de subida do Brasil. Como tinha acabado de correr a Maratona de Chicago, fui na cara e na coragem para Treviso. Consegui passar pelo corte, mas sofri muito para subir a serra. Foi duro, mas consegui. Cruzei a linha de chegada em último lugar, ao lado da querida Yara Achôa. Abraçados, choramos de alegria pela conquista.

No ano seguinte, em 2014, estava mais preparado. A Mizuno Uphill Marathon foi a primeira das três maratonas que fiz em 28 dias, incluindo, nesse período, a Maratona de Nova York e a K42 Series Adventure Marathon, em Vila la Angostura, na Argentina. Ao contrário de 2013, que teve muita névoa, a segunda edição teve chuva e vendaval. O vento era tão forte que nos impedia de correr em linha reta no alto da serra e, no momento em que cruzei o pórtico de chegada, ao lado do parceiro Kadu Costa, o banner estourou com a força da ventania.

Chegada da Mizuno Uphill Marathon em 2014, com Kadu Costa
Chegada da Mizuno Uphill Marathon em 2014, com Kadu Costa

Como a corrida é “uma caixinha de surpresas” e “treino é treino, jogo é jogo”, vou largar com o objetivo de fazer a prova em até 5h, curtir muito o percurso, absorver a energia da prova e sofrer pouco. Mas só saberei isso depois do 42º quilômetro.

Boa prova

 

Deixe uma resposta