Carlos Sampaio, organizador da Maratona do Rio, é assassinado em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro

Essa nota eu não queria escrever.

O empresário Carlos Roberto Sampaio e Sá, de 56 anos, o Carlinhos, sócio da Spiridon, uma das empresas que organizam a Maratona do Rio, foi assassinado na manhã desta segunda-feira (4/12), perto da academia que frequentava, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.  O corpo, que estava na Estrada do Bananal, na Freguesia, foi localizado por volta das 6h. De acordo com a Polícia Civil, o caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios (DH) da Capital. Ainda não há informações se ele foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) ou execução. De acordo com a polícia, houve perícia no local onde o corpo de Carlos Sampaio foi localizado. Os agentes estão realizando diligências para tentar localizar possíveis testemunhas e imagens de câmeras de segurança no local do crime para tentar identificar quem efetuou os disparos. Casado, ele deixa três filhos. O velório do empresário está marcado para esta terça-feira, a partir de 9h, na capela 6 do Cemitério Jardim da Saudade. O enterro está programado para as 15h.

Nota da Maratona do Rio
Nota da Maratona do Rio

Em nota, os organizadores da Maratona do Rio informaram que toda a equipe está consternada com a morte do sócio: “Carlinhos dedicou sua vida às corridas de rua, colocando no asfalto toda sua paixão. Aos familiares e amigos, nosso mais profundo sentimento de pesar e solidariedade. A Maratona do Rio seguirá percorrendo muitos km com toda energia que Carlinhos sempre depositou nela”.

No comunicado, a organização do evento ressaltou que, ao longo de mais de 20 anos de amizade, a equipe realizou junto o sonho de revitalizar e repensar as corridas de rua no Brasil. “Com a energia do Carlinhos, a Maratona do Rio se tornou a corrida mais importante do país. E é através dela e de todas as corridas que realizamos juntos, transformando a vida de tanta gente para melhor, que Carlinhos continuará vivo. Perco mais do que um sócio, um grande amigo da vida”, disse, na nota, João Traven, sócio-diretor da Spiridon.

Duda Magalhães, CEO da Dream Factory, também organizadora da Maratona, junto com a Spiridon, também se manifestou sobre a morte do amigo: “Junto com Carlinhos demos nossos primeiros passos no asfalto em 2009, sempre pensando no melhor para o atleta e transformando a maneira como o público vive e sente a corrida de rua: com muita paixão. É essa a memória que vai ficar. Carlinhos foi um grande parceiro e amigo com sua força característica”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s