‘O improvável não é impossível’, por Cristiano Goldenberg, que, após ter morte súbita em uma prova de 21km, agora é maratonista

Depois de uma temporada de mais de três anos morando fora do Brasil, retornei ao país em 2007 acima do peso. Comecei a correr apenas para perder os quilos que me incomodavam. Perdi peso, mas nunca mais deixei de correr. Fui até os 21 quilômetros da meia maratona e a distância parecia ser o meu…