No Chile, Mirlene Picin é vice-campeã sul-americana de ski cross country 2018

Do asfalto quente de Mogi Mirim para as montanhas da Espanha. Das conquistas em corridas em ascensão para descidas em um ski em Termas de Chillán, no Chile. A paulista Mirlene Picin, a Mika, segue colocando sua cidade e a região em evidência internacional. Neste final de semana, ela disputou mais uma edição do Campeonato Sul-Americano de Ski Cross Country e da Copa Chilena, a National Championship.

No domingo (2/9), a esquiadora brasileira conquistou a medalha de prata na prova feminina de 5km. Mirlene fechou a distância em 16m28s01, ficando pouco mais de seis segundos da medalha de ouro. O resultado deu a Mika 146,18 pontos na Federação Internacional de Ski), lembrando que a pontuação é contada de forma decrescente, ou seja, quanto menos pontos, melhor.

Já na segunda-feira, Mirlene ficou com a medalha de bronze na Copa Chilena. Ela fechou os 5km em 17m05s02, novamente, por muito pouco, ficou sem a medalha de ouro, por apenas 7 segundos e desta vez com tempo perdido por conta de uma queda. Mirlene registrou 146,30 pontos na FIS. Já nesta terça-feira, na prova de Sprint de 1km, ela foi a quarta colocada.

“A meta aqui era estar no Top 3 em pelo menos uma prova. Acabei sendo Top 3 em duas. Sabia que seria complicado, pois, nesse primeiro semestre de 2018, meus treinos foram todos focados para as provas de montanha”, afirma a multialteta. “Participei de 10 provas, de kilometro vertical a 45km, e subi ao pódio em nove oportunidades, sendo cinco delas na Espanha. Hoje, o meu maior desafio é ser competitiva em duas modalidades completamente diferentes”.

Mirlene comemora o segundo lugar na prova de 5km no Sul-Americano deSky Cross Country, no Chile
Mirlene comemora o segundo lugar na prova de 5km no Sul-Americano de Ski Cross Country, no Chile

Com os resultados, a atleta manteve o bom desempenho em provas de ski. Em 2015, Mirlene foi campeã sul-americana da primeira edição de cross country. Em 2016, o evento foi cancelado por falta de neve e, em 2017, ela foi mais uma vez a campeã. A mogimiriana ainda coleciona 26 medalhas em sul-americanos de biatlo, sendo 12 de ouro, entre 2008 e 2017.

A atleta volta a competir em outubro e novembro, na corrida de montanha na Espanha, para pontuar no circuito mundial da ITRA, um dos órgãos que comanda a corrida de montanha no mundo. Os pontos servem para o ranking internacional dos corredores, bem como para poder ter acesso a alguns eventos internacionais de grande expressão, como campeonatos mundiais e a Ultra Trail du Mont Blanc (UTMB).

No ski cross country, Mirlene já possui o índice para competir no Mundial 2019 desta modalidade olímpica de inverno, que acontece em fevereiro, na Áustria.

Com estes dois pódios no Chile, o ano de 2018 contabiliza 240 mudas para reflorestamento do projeto que Mirlene tem em parceira com empresa de fertilizantes orgânicos Visafertil.

Patrocinio: Visafértil, Fermac Cargo e Nanobr Nanotecnologia, Apoio: Murilhas Comunicação, Hospital 22 de Outubro e Bonés Skiroll. Parceria:  Sejel – Mogi Mirim e Studio Zentro – Huesca.

Anúncios

Deixe uma resposta